Economia

A atividade equestre tem um impacto considerável na economia mundial e nacional. Segundo a European Horse Network, estima-se que na Europa a economia do cavalo seja responsável por mover 100 biliões de euros anualmente, 400.000 postos de trabalho, diretos e indiretos, num total de mais de 6 milhões de cavalos, 6 milhões de hectares de terra destinada a pastagem e uma cifra de 5% de crescimento anual em termos de novos cavaleiros. Os números são expressivos, mas em Portugal não existem dados estruturados que permitam fazer uma análise económica e social mais aprofundada. O AIHS vai pela primeira vez apresentar em 2020 um Estudo de Impacto Socioeconómico que permitirá, entre outros elementos, ilustrar as principais coudelarias do país, caraterizar os maiores marcos e eventos do setor em Portugal, estabelecer paralelos com países e cidades em que o setor equestre tem grande relevância, levantar os principais indicadores, tendências e melhores práticas, agregar o valor socioeconómico da economia do cavalo (quantificação de impactos diretos e indiretos) e apontar as principais tendências do setor que devem ser acompanhadas. Este estudo estará a cargo da consultora EY.